SOFT SKILLS, HABILIDADES INATAS?

Vou ser bem sincero, as vezes fico incomodado em ver ou ler algumas notícias, que na maioria das vezes só comprovam o que alguns de nós profissionais já tentamos passar, compartilhar, ensinar ou até mesmo discutir a respeito.

Nos meus mais de 30 anos de experiência com pessoas, equipes, times, grupos e networking, a dificuldade que mais vejo é a habilidade interpessoal, a dificuldade de relacionamento interpessoal e principalmente a comunicação interpessoal, as chamadas “Soft Skills”. Por onde eu vá, apesar dos esforços que são visíveis nas pessoas, de cada 100 apenas 1 possui, não de forma global, mas possui pelo menos a capacidade e a habilidade interpessoal.

Onde estão as principais dificuldades? Em primeiro lugar na Empatia, é comum até vermos, simpatia, interesse e até atenção total, mas Empatia no sentido da palavra, raríssimo, em seguida a dificuldade de comunicação interpessoal, real, efetiva com escuta atenta e estruturada, percebendo os mínimos detalhes e fazendo as perguntas certas sem pré-supor, sem inferir e tendo o real entendimento, o que explica é claro a falta da primeira, Empatia.

Sem estas duas, praticamente todo o resto de “soft skills” ou habilidades interpessoais fica sem sentido, pois sem empatia e comunicação interpessoal, efetiva, atenta e estruturada não há como se ter respeito a diversidade, ser adaptável a mudanças, ser líder e até mesmo inovar.

Conforme li estes dias na publicação digital da revista época Negócios (Link para a matéria: https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2018/02/o-que-sao-soft-skills.html) feita por Barbara Bigarelli, e conforme Levantamento da edição de 2017 do Capgemini Digital Transformations Institute Survey mais de 60% das empresas do mundo todo sofrem com a falta e carência das “Soft Skills”, conclusivamente, observa-se que grande parte dos executivos procuram cursos e profissionais de capacitação, pagando preços altos para adquirirem estas habilidades, que hoje, veja só, não mais são consideradas habilidades inatas, mas habilidades que podem ser ensinadas, aprendidas e aplicadas.

Até onde sei, ou pelo menos até onde sempre considerei pilares da boa liderança e principalmente pilares da qualidade de vida pessoal e profissional, estas sempre foram habilidades que podem e devem ser aprendidas e aplicadas em todas as áreas e setores. Eu mesmo acho que durante estes longos 30 anos desenvolvi uma série de “Soft Skills” que me foram e são úteis no meu dia a dia como coach, palestrante, mentor e consultor.

Entre as habilidade da pesquisa realizada pelo Capgemini Digital Transformations Institute Survey, estão:

Colocar o consumidor no centro das preocupações (uma forma de empatia) (65%)
Paixão por aprender (64%)
Colaboração (63%)
Capacidade de decidir (62%)
Habilidade organizacional (61%)
Habilidade de lidar com ambiguidade (56%)
Mentalidade empreendedora (54%)
Capacidade de gerar mudanças (53%)

Estas habilidades, algumas delas quase impossíveis de serem medidas por ferramentas comportamentais ou de competências, fazem parte dos 6 pilares básicos de todo e qualquer Líder Empreendedor (1), que são:

Líderança de equipes e pessoas;
Comunicação Interpessoal;
Planejamento e organização;
Adaptével a Mudanças;
Aperfeiçoamento Contínuo
Inovação e Criatividade

A estes 6 pilares de competências e habilidades adicionamos a Inteligência Emocional e o Reconhecimento dos Perfis Comportamentais.

No Curso Criado por mim de nome REAL LEADERSHIP EXPERIENCE, estas habilidades, comportamentos e competências são ministrados de forma prática e vivencial, com atividades em grupo e individuais, preparando e desenvolvendo o participante a criar seu próprio plano de ação durante dois dias inteiros com aproximadamente 20 horas de imersão total.

Porém como a matéria descreve, é preciso tomar cuidado com quem, onde e como é realizado este aprendizado. É preciso que o executivo, líder ou empreendedor tenha certeza do conteúdo, do que será desenvolvido e como. Investir alguns milhares em uma formação que não lhe dará suporte para o resto da vida em contínuo desenvolvimento pode ser um mal investimento.

(1) Entende-se como Líder Empreendedor o conceito geral envolvendo tanto o pessoal como profissional, seja pra empreender seja para intra-empreender, autodesenvolvendo habilidades para propósitos e objetivos de forma duradoura e contínua, com resultados efetivos.

Resumindo, “Soft Skills” ou Habilidades Interpessoais, num mundo globalizado, tecnológico, conectado e colaborativo são (e sempre foram) ESSENCIAIS e INDISPENSÁVEIS para qualquer pessoa que deseja se autodesenvolver de forma pessoal e profissional, ser mais efetivo, maximizar mais suas ações e ter foco em pessoas e resultados de forma assertiva.

Espero que tenha contribuído para uma reflexão mais profunda com relação a frase “Em que você realmente deu o seu melhor hoje?”.

Adoro conversar sobre temas relacionados a Empreendedorismo, Startup, Liderança e Coaching. Você pode entrar em contato comigo sempre que precisar de suporte profissional ou tiver dúvidas. Você também pode deixar seus comentários ou sugestões.

Um Abraço e até a próxima

Adriano Levy

Executive Coach, Life Coach, Coach de Carreira, Analista Comportamental DiSC e Analista ASSESS, Consultor, Mentor, Empreendedor, Palestrante, Analista de Sistemas, Analista de Negócios, Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação.

0 Comments

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>